Não à repressão linguística no Brasil!

O Brasil é um país rico em diversidade linguística. Há no Brasil aproximadamente 300 línguas de diferentes povos indígenas, de descendentes de imigrantes, de pessoas surdas, afro-descendentes, além das línguas em contato e transformação situadas nas fronteiras. Esse quadro linguístico e cultural tão plural, resultado de resistências e lutas sociais, tem sido, no entanto, lançado a processos históricos de silenciamento.
As políticas linguísticas visando dar voz às comunidades linguísticas e lhes garantir o direito aos usos de suas línguas são recentes e necessitam ser reforçadas e ampliadas. Nesse cenário nasce a demanda encaminhada pelo IPOL – Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística que atua desde 1999 na promoção e garantia de direitos linguísticos no Brasil, à Defensoria Pública da União (DPU) por ações que ampliassem a conscientização sobre esse direito humano a todas as brasileiras e brasileiros e por medidas de compensação aos danos causados pela repressão linguística.
A partir dessa demanda, foi produzida a Nota Técnica sobre conscientização do direito humano à diversidade linguística e formas de compensação pela conjuntura histórica de repressão linguística no Brasil desde o início do processo de colonização.

Leia a nota técnica AQUI

Por Políticas Compensatórias à Repressão Linguística

De forma inédita no Brasil, pleiteiam-se políticas compensatórias à repressão linguística praticada pelo Estado desde o período colonial. Esta é uma iniciativa do IPOL – Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística, que protocolou uma Nota Técnica  junto à Defensoria Pública da União (DPU), contando com o apoio do Núcleo de Tradução da Defensoria Pública da União (NUTRAD) e do Grupo de Pesquisa MOBILANG da Universidade de Brasília (UnB).

O Brasil, país bilíngue desde 2005 (Português/Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS), é também excepcionalmente rico em diversidade linguística. Com cerca de 300 línguas, está entre os oito países com maior número de línguas no mundo. Contudo, ao longo de sua história, o Estado Brasileiro adotou políticas que  impuseram a Língua Portuguesa como única língua legítima dos cidadãos brasileiros ao mesmo tempo em que negligenciou a adoção de medidas contrárias ao extermínio e desvalorização de centenas de línguas brasileiras. Com essa postura, submeteu centenas de cidadãos falantes de outras línguas igualmente brasileiras a práticas permanentes de exclusão, racismo e preconceito.

Esse fato, desconhecido por muitos, justifica a nota técnica,  que tem por objetivo promover a conscientização e a promoção do direito humano à diversidade linguística. Rosangela Morello, Coordenadora do IPOL, afirma que “a Nota reivindica medidas contra o apagamento da história, da memória e dos saberes linguísticos de centenas de cidadãos e cidadãs brasileiro(a)s, e contra a exclusão histórica das línguas brasileiras e seus falantes de espaços institucionais”.

Com a finalidade de dar início à divulgação da Nota Técnica e ampliar a discussão sobre direitos linguísticos como parte dos direitos humanos no país,  a Escola Nacional da Defensoria Pública da União (ENADPU) realizará uma série de debates nos dias nos dias 7, 14, 28 de outubro e 4 de novembro de 2021, às 16h, por meio do Webinário “Direitos Linguísticos e Direito Humanos”.  O evento é produto da parceria entre o IPOL, o NUTRAD/DPU e MOBILANG-UNB, e será transmitido pelo canal do Youtube da ENADPU e do IPOL.

 

O conteúdo das notícias replicadas por este blog é de responsabilidade dos autores.

Início das atividades da disciplina Políticas Linguísticas Regionais

 

A disciplina Políticas Linguísticas Regionais será ofertada pelo Programa de Pós-graduação em Linguística (PPGL) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil, em parceria com a Universidade Pompeu Fabra (UPF), Barcelona, Espanha. A disciplina será ministrada pelos professores Dr. Gilvan Müller de Oliveira (UFSC) e pelo Dr. Vicent Climent-Ferrando entre 27 de outubro de 2021 (primeira parte) e 16 de março de 2022 (segunda parte). Seguindo a metodologia OMMIP-on-line, multilíngue, multidisciplinar, interinstitucional e pluricontinental, e com atividades síncronas e assíncronas, a disciplina terá a participação de professores e estudantes das 25 instituições da Cátedra UNESCO em Políticas Linguísticas para o Multilinguismo, coordenada pela UFSC. As aulas e atividades serão conduzidas em português, espanhol, inglês e francês.

 

Toda a informação pode ser consultada AQUI

I Congresso Internacional de Línguas Pluricêntricas (I PLURI) – Programação de 22 de outubro 2021

Acompanhe a Programação de 22 de outubro 2021

Mais informações AQUI

 

I Congresso Internacional de Línguas Pluricêntricas (I PLURI) – Programação de 21 de outubro 2021

Acompanhe a Programação de 21 de outubro 2021

Mais informações AQUI

I Congresso Internacional de Línguas Pluricêntricas (I PLURI) – Programação de 20 de outubro 2021

Acompanhe a Programação de 20 de outubro 2021

Mais informações AQUI

 

 

 

I Congresso Internacional de Línguas Pluricêntricas (I PLURI)

Políticas linguísticas e multilinguismo

20 a 22 de outubro de 2021

A realização do I PLURI, em versão totalmente on-line, parte de uma parceria institucional entre a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a Universidade Federal da Bahia (UFBA), a Universidade Federal Fluminense (UFF), a Universidade de Brasília (UnB), a UNOESTE, a Universidade Federal de Roraima (UFRR) e o Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística (IPOL), instituições que conformam a seção brasileira da Cátedra UNESCO em Políticas Linguísticas para o Multilinguismo, com sede na UFSC, e que tem por objetivo aprofundar o conhecimento sobre as Línguas Pluricêntricas, abrindo o conceito para uma série de novas relações.

Acompanhe todas as informações e a programação AQUI

 

 

 

 

II Jornada Saramago Vive! Literatura, Marxismo e História

II Jornada Saramago Vive! Literatura, Marxismo e História, será promovida pelo grupo de pesquisa “Saramago, leitor de Marx”, do Programa de Pós-graduação em Letras da PUC Minas, com o apoio do Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros, e se realizará no decorrer dos dias 25 e 26 de novembro de 2021.

O evento se propõe a homenagear Saramago, refletindo sobre suas obras a partir de uma perspectiva marxista e em diálogo com a História.

Estarão presentes palestrantes nacionais e internacionais, cujo traço comum com o grupo de pesquisa é a paixão pelas obras do autor português.

 

Mais informações e inscrições AQUI

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo