Série LÍNGUAS & POLÍTICAS: Episódio 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assista no Canal IPOL Vídeos ( Youtube):

Série LÍNGUAS & POLÍTICAS no IPOL Vídeos (Youtube)

Já conhece o IPOL Vídeos?

Se inscreva no canal, acompanhe, curta e compartilhe a nossa programação!

O conteúdo das notícias replicadas por este blog é de responsabilidade dos autores.

Facebook poderá traduzir até 100 idiomas sem usar inglês

O Facebook desenvolveu o primeiro modelo de tradução automática multilíngue, capaz de traduzir até 100 idiomas sem utilizar o inglês como intermediário. O sistema, batizado de M2M-100, utiliza inteligência artificial.

Segundo a assistente de pesquisa do Facebook, Angela Fan, isso é um importante passo em direção a um modelo universal que compreenda todos os idiomas em diferentes tarefas. A empresa ainda não divulgou informações de quando o modelo será implementado. Até o momento, a tecnologia é apenas um projeto de pesquisa.

Como o estudo foi realizado

Fonte:  Facebook/Divulgação 

Inicialmente, a equipe de pesquisadores coletou da internet 7,5 bilhões de pares de frases em 100 línguas diferentes, dando prioridade às traduções mais solicitadas pelos internautas.

Em seguida, os idiomas foram separados em 14 grupos, com base em semelhanças linguísticas, geográficas e culturais. Um desses grupos, por exemplo, inclui línguas comuns da Índia, como hindi, bengali e marata. Para facilitar o entendimento das pessoas, a equipe decidiu criar pontes de tradução.

No caso das línguas indianas, o hindi, bengali e tâmil serviram como intermediárias para as indo-arianas. Com essa técnica, a empresa diz que superou os sistemas centrados em inglês em 10 pontos na métrica BLEU, que avalia traduções automáticas, alcançado a marca de 20,1. 

Comparação entre o novo modelo de tradução, com 20,1 pontos na métrica BLEU; e o modelo atual, com apenas 16,7 pontos. Fonte:  Facebook/Divulgação 

“Ao traduzir, digamos, de chinês para francês, a maioria dos modelos multilíngues centrados em inglês treinam de chinês para inglês e de inglês para francês, porque os dados de treinamento em inglês estão amplamente disponíveis”, explicou Angela Fan. “Nosso modelo treina diretamente em dados chineses para franceses para preservar melhor o significado.”

Apesar de ainda não ter sido incorporado ao Facebook, onde usuários postam conteúdo em mais de 160 línguas, testes realizados pela equipe indicam que o modelo pode suportar uma grande variedade de traduções.

 

ABRALIN ao vivo – Línguas como forma de resistência

Assista em:

https://aovivo.abralin.org/lives/linguas-como-forma-de-resistencia/

Conferência – Políticas Linguísticas para a internacionalização dos cursos de letras

24º Encontro Nacional dos Difusores do Talian

O 24º Encontro Nacional dos Difusores do Talian, na edição de 2020 realizado de forma virtual, traz assuntos de interesse além da Cultura e da Língua Talian. O conhecimento de Direitos Culturais e Direitos Autorais são de interesse de todas as áreas de cultura. O conhecimento sobre Arquitetura da Imigração Italiana interessa a diversas áreas da cultura, educação, história, turismo e outras sejam políticas federais, estaduais ou municipais.
Fique atento: a diversidade linguística – devagarinho – está crescendo e irá chegar aos municípios, uns antes, outros depois, mas irá chegar.
Aproveite a oportunidade de conhecer e se atualizar sobre questões tão importantes podendo participar estando na sua casa já que a Live terá a duração das 14h às 17h do dia 07/11/2020.  Sem despesas e sem precisar viajar.

Participe! Divulgue! Gràssie!

Link para a inscrição http://bit.ly/Talian2020

Oficina: Preencher o Lattes sem sofrimento – PPGI UFSC

Mini- curso “Ensino de português língua de acolhimento: status e práticas” na XI Semana de Ciência e Tecnologia (SCT)

Este mini-curso tem por objetivo trazer para a autorreflexão os profissionais que atuam no ensino-aprendizagem de Português Língua de Acolhimento (PLAc) e/ou outros status do Português, focalizando a discussão das especificidades da área e suas relações com a prática por meio de um aprofundamento teórico-prático a partir das observações da experiência no curso de Português como Língua de Acolhimento do projeto de extensão Ensino-Aprendizagem Português Língua de Acolhimento (PLA), na Unesc, com as nacionalidade hatianas, ganesas, togolesas e nigerianas.

Público Alvo: Professores Voluntários de PLAc, acadêmicos de Letras e Pedagogia e profissionais da área de Educação e Políticas Públicas e Sociais.

Organização: PPGE/Letras/Programa de Ensino-aprendizagem de PLA.

 

Oct 28, 2020 – 08:00 – 12:00
Mais informações em: 

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo