América Latina

Portugal convidado de honra na maior feira do livro da América Latina

António Lobo Antunes, Gonçalo M. Tavares, Mia Couto e Ricardo Araújo Pereira vão ser alguns dos mais de 40 escritores, músicos e bailarinos que vão representar Portugal na Feira Internacional do Livro de Guadalajara, no México.

Foto: Mário Cruz/Lusa

Foto: Mário Cruz/Lusa

Em média a Feira Internacional do Livro de Guadalajara recebe 800 mil visitantes por ano. É o maior evento do género da América Latina e, este ano, Portugal tem honras de país convidado. Ao longo de nove dias, entre 24 de novembro e 2 de dezembro, mais de 40 escritores portugueses vão estar no México para representar o seu país. Portugal mostrará ainda o seu cinema, música, exposições, bailado e gastronomia durante a feira.

O Paraguai redescobre o guarani

Assunção, Paraguai – Quando era estudante, no Paraguai, os professores a faziam ajoelhar no sal grosso e no milho, às vezes a manhã inteira, como castigo por falar sua língua-mãe, o guarani, em sala de aula.

“E tinha que ser na frente dos meus amigos, para eles verem, no preto e no branco, o que acontecia com quem se atrevesse a falar”, diz a ativista Porfiria Orrego Invernizzi, hoje com 67 anos.

Outros eram forçados a ficar sem comer e beber o dia inteiro, tinham que usar fralda como forma de humilhação ou simplesmente apanhavam por usar a língua indígena. Esse tipo de tratamento existiu nas escolas paraguaias durante praticamente toda a história do país – ou melhor, até a queda do ditador Alfredo Stroessner, cujo governo de 35 anos caiu em 1989.

Continue lendo

Em uma Kombi, venezuelanas levaram música e cinema à República de Emaús

República do Emaús no bairro do Jurunas em Belém (Foto: Reprodução/TV Liberal)

Conhecer gente de várias culturas, conversar com pessoas em diferentes idiomas, passar por diversos lugares do mundo usando uma Kombi como meio de transporte. Esse é o projeto “Buscando a mi gente”, das venezuelanas Cori Malvestuto e Verónica Otero.

Conhecer gente de várias culturas, conversar com pessoas em diferentes idiomas, passar por diversos lugares do mundo usando uma Kombi como meio de transporte. O Projeto “Buscando a mi gente”, das venezuelanas Cori Malvestuto e Verónica Otero, mostrou como viver essa realidade na sede do Movimento República de Emaús, no Bairro do Bengui, em Belém. Ali será estacionada a Kombi Vela Blue, do “Buscando a mi gente”, que em Belém recebe o apoio da Fundação Cultural do Pará (FCP).

Continue lendo

Curaçao premiou parceiros e espera continuar crescimento em 2018

Autoridades do Governo de Curaçao representando o país na premiação (Foto: divulgação)

A 2ª edição do Curaçao Recognition Awards contou com a presença de parceiros do trade, incluindo a imprensa

Por Lucas Kina –

Na manhã desta quinta-feira (23), Curaçao premiou seus parceiros brasileiros em razão de “um ano promissor”, conforme as palavras de Muryad de Bruin, gerente de Marketing do Curaçao Tourist Board (CTB) para a América do Sul. A cerimônia foi presidida por José Roberto Maluf, presidente da Twist & Shout, agência de Publicidade responsável pela promoção de Curaçao no Brasil e pelo Curaçao Recognition Awards. Continue lendo

O Governo de Maurício Macri e a questão indígena na Argentina

No dia 12 de outubro, quinta-feira passada, foi celebrado na Argentina o Dia do Respeito à Diversidade Cultural, feriado dedicado ao diálogo entre diferentes culturas e à reflexão histórica sobre a conquista e colonização das Américas. O feriado ocorreu em meio à crescente tensão entre os povos indígenas e o Governo nacional. Na ocasião, diversas comunidades realizaram atos e manifestações em várias localidades com o objetivo de celebrar suas tradições e também clamar por direitos e reparação de injustiças cometidas em tempos passados.

Continue lendo

O incentivo peruano no uso das línguas indígenas

O governo do Peru está incentivando o uso das línguas indígenas do país como uma medida de inclusão social e econômica de seus falantes

A TV Perú está surpresa com o sucesso dos noticiários em quíchua e em aimará (Foto: TV Perú)

Filho de imigrantes europeus, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, é fluente em espanhol, inglês, alemão e francês, mas não fala nenhuma das 47 línguas indígenas do país. No entanto, seu governo está incentivando mais o uso dessas línguas do que seus predecessores, alguns com raízes indígenas.

Em dezembro, a TV Perú, a rede de televisão estatal, começou a transmitir o primeiro programa de notícias diário na língua quíchua.Em abril deste ano, iniciou um noticiário em aimará. No dia 10 de agosto, o governo divulgou sua “política para línguas nativas”, como parte dos preparativos para a comemoração dos duzentos anos da independência em 2021.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo