Lusofonias

Macau lança versão online da 1.ª revista acadêmica em português na Ásia

O Instituto Politécnico de Macau (IPM) lançou a versão ‘online’ da primeira revista académica em língua portuguesa na Ásia, criada em conjunto com a Universidade do Porto, anunciou hoje a instituição.

Macau lança versão online da 1.ª revista académica em português na Ásia

Arevista “Orientes do Português” resulta dos esforços conjuntos do Centro Pedagógico e Científico da Língua Portuguesa do IPM e da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

“Historicamente, as revistas internacionais de língua portuguesa têm-se concentrado principalmente no Brasil e em Portugal. Na região asiática, no entanto, ainda não existia nenhuma revista académica de padrão internacional editada em língua portuguesa e dedicada ao estudo da língua e cultura dos países lusófonos“, explicou o IPM em comunicado.

“Perante este facto, as duas instituições tomaram a iniciativa de editar a revista (…), que, além de preencher esta lacuna, visa oferecer uma plataforma para a realização de intercâmbios académicos de elevada qualidade em que os estudiosos asiáticos de língua portuguesa possam apresentar os resultados das suas investigações”, pode ler-se na mesma nota.

objetivo da revista passa por se tornar num “repositório do que melhor se produz em termos de investigação académica em língua portuguesa no mundo, e em especial na China e na Ásia“.

A revista está aberta a contribuições em áreas relacionadas com a linguística portuguesa, o contacto do português e as línguas asiáticas, o ensino e aprendizagem do português como língua não materna, estudos de tradução, estudos literários e culturais dos países de língua portuguesa, bem como as manifestações culturais, literárias e artísticas dos territórios e comunidades orientais onde a língua portuguesa tem influência.

Após mais de 400 anos sob administração portuguesa, Macau passou a ser uma Região Administrativa Especial da China a 20 de dezembro de 1999, com um elevado grau de autonomia acordado durante um período de 50 anos.

A China estabeleceu a Região Administrativa Especial de Macau como plataforma para a cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003. Uma cooperação visível também ao nível do ensino e da cultura.

Concerto virtual de fado assinala Dia Internacional da Língua Portuguesa

Um concerto virtual de fado ‘Da minha língua vê-se o mar’ assinalou, na terça-feira e pela primeira vez, o Dia Internacional da Língua Portuguesa na Venezuela.

Concerto virtual de fado assinala Dia Internacional da Língua Portuguesa

Para o coordenador local do ensino da Língua Portuguesa, Rainer de Sousa, esta comemoração “é especial” por ser o primeiro ano, já que a “efeméride foi proclamada no ano passado pela UNESCO” para reconhecer “o português como uma das línguas globais” atuais.

“Na Venezuela, não queríamos deixar passar esta data, apesar das limitações que temos, impostas pelo confinamento social”, disse, aos jornalistas.
“E, por isso, decidimos promover um ato musical (…) para destacar, uma vez mais, o português como língua que une diferentes povos, em diferentes territórios, unidos pelo mar que há séculos atrás era uma estrada da comunicação usada para a promover a portugalidade no mundo”, sublinhou, sobre o concerto da cantora lusodescente Liliana de Faria.

Rainer de Sousa precisou que a procura de ensino da Língua Portuguesa continua a aumentar na Venezuela e que várias escolas incluíram o português no programa de estudos oficiais.

“Temos quase quatro mil jovens venezuelanos a estudar português, isto sem falar na numerosa comunidade de portugueses que vivem aqui e que são embaixadores da nossa cultura e idioma”, frisou.

O concerto virtual, devido à pandemia da covid-19, foi organizado pela Embaixada de Portugal em Caracas, pelo Camões-Instituto de Cooperação e da Língua, pelo jornal Correio da Venezuela, pelo Instituto Português de Cultura e pela a Associação Venezuelana para o Ensino da Língua Portuguesa (AVELP).

Câmara de Barrancos quer barranquenho reconhecido como língua oficial

A Câmara de Barrancos vai candidatar o falar típico do concelho, o barranquenho, a Património Linguístico Nacional, para poder ser reconhecido como língua oficial, ensinado na escola básica da vila e candidatado a Património da Humanidade.

Fonte: Internet

Depois da classificação como Património Imaterial de Interesse Municipal em 2008, o “próximo passo” é candidatar o barranquenho à classificação de Património Linguístico Nacional, junto do Ministério da Cultura, e “depois, numa outra fase”, à de Património Cultural Imaterial da Humanidade, junto da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Barrancos, António Tereno.

O objetivo da classificação como Património Linguístico Nacional é conseguir que o barranquenho seja “reconhecido oficialmente como língua – língua mista, mas língua -, a terceira em Portugal, além do português e do mirandês”, para poder ser ensinado como disciplina na Escola Básica Integrada de Barrancos.

Continue lendo

Instituto Cultural Alter’brasilis organiza conferências sobre a cultura brasileira

alter-brasilisO Instituto Cultural Alter’brasilis, que tem como foco a promoção da cultura brasileira e da lusofonia, organiza uma série de Conferências sobre a cultura, literatura e cinema brasileiros, de 13 de janeiro a 4 de fevereiro de 2017, em Paris. As conferências são ministradas em francês e têm entrada aberta para sócios prévia inscrição (para ser sócio do instituto é necessário pagar uma anuidade de 10 euros).

Cronograma

13/01: Cinco séculos de poesia brasileira  II – Reflexão sobre as mulheres e erotismo na poesia moderna e contemporânea brasileira. Quais são as mudanças de perspectiva que ocorrem quando a mulher não está mais no papel tradicional de “musa”, mas se torna uma poeta? Apresentado pela pesquisadora Patrícia Lavelle. Continue lendo

Mandinga – Revista de Estudos Linguísticos

ma
A Mandinga – Revista de Estudos Linguísticos, periódico da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), está recebendo submissão de artigos experimentais, artigos de revisão de literatura, ensaios e resenhas até o dia 15 de novembro para publicação de primeiro volume, previsto para fevereiro de 2017.
Recebemos  contribuições inéditas de graduandos, graduados e pós-graduados na área da linguística teórica e aplicada, assim como trabalhos que abordem questões relacionadas a políticas linguísticas para internacionalização e promoção da língua portuguesa.
Os trabalhos submetidos devem estar formatados de acordo com as Diretrizes para autores, disponibilizadas na página do periódico.
Fonte: email de divulgação

 

“8 séculos de história”, reportagem sobre a história e projeções da Língua Portuguesa no mundo

ufsc

Desde sua formação, a língua portuguesa passou de um idioma europeu para um dos mais falados na América — mas hoje, seu futuro está na África e na Ásia

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo