Macau

Macau lança versão online da 1.ª revista acadêmica em português na Ásia

O Instituto Politécnico de Macau (IPM) lançou a versão ‘online’ da primeira revista académica em língua portuguesa na Ásia, criada em conjunto com a Universidade do Porto, anunciou hoje a instituição.

Macau lança versão online da 1.ª revista académica em português na Ásia

Arevista “Orientes do Português” resulta dos esforços conjuntos do Centro Pedagógico e Científico da Língua Portuguesa do IPM e da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

“Historicamente, as revistas internacionais de língua portuguesa têm-se concentrado principalmente no Brasil e em Portugal. Na região asiática, no entanto, ainda não existia nenhuma revista académica de padrão internacional editada em língua portuguesa e dedicada ao estudo da língua e cultura dos países lusófonos“, explicou o IPM em comunicado.

“Perante este facto, as duas instituições tomaram a iniciativa de editar a revista (…), que, além de preencher esta lacuna, visa oferecer uma plataforma para a realização de intercâmbios académicos de elevada qualidade em que os estudiosos asiáticos de língua portuguesa possam apresentar os resultados das suas investigações”, pode ler-se na mesma nota.

objetivo da revista passa por se tornar num “repositório do que melhor se produz em termos de investigação académica em língua portuguesa no mundo, e em especial na China e na Ásia“.

A revista está aberta a contribuições em áreas relacionadas com a linguística portuguesa, o contacto do português e as línguas asiáticas, o ensino e aprendizagem do português como língua não materna, estudos de tradução, estudos literários e culturais dos países de língua portuguesa, bem como as manifestações culturais, literárias e artísticas dos territórios e comunidades orientais onde a língua portuguesa tem influência.

Após mais de 400 anos sob administração portuguesa, Macau passou a ser uma Região Administrativa Especial da China a 20 de dezembro de 1999, com um elevado grau de autonomia acordado durante um período de 50 anos.

A China estabeleceu a Região Administrativa Especial de Macau como plataforma para a cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003. Uma cooperação visível também ao nível do ensino e da cultura.

Colóquio VI: Aspectos da Lusofonia Macau e a Língua Portuguesa na China

logo_neu_204x107A Universidade de Heidelberg na Alemanha dedicou em junho uma conferência completa a Macau e à Língua Portuguesa na China. A conferência insere-se no Colóquio anual “Aspectos da Lusofonia”, lançado em 2011 pelo Departamento de Português no Instituto de Tradução e Interpretação (IÜD) de Heidelberg em parceria com o Instituto Camões. Trata-se de um evento que junta anualmente especialistas de diferentes países lusófonos e lusitanistas de língua alemã com o propósito de focar e discutir aspectos à volta da Lusofonia e analisar cenários em que a Língua Portuguesa desempenha um papel de relevo.

No Colóquio de 2016 sobre Macau, realizado no dia 22 de junho, estiveram presentes, como professoras que ensinam e investigam o Português na China e em Macau, a Doutora Maria José Grosso da Universidade de Macau, que proferiu uma comunicação sobre o Português na paisagem linguística de Macau, e a Doutora Maria Poço Lopes do Instituto Politécnico de Macau com uma intervenção sobre os factos e desafios do ensino de Português na China. A antropóloga Doutora Marisa Gaspar, investigadora integrada no Instituto do Oriente da Universidade de Lisboa, apresentou a comunidade macaense e a sua reinvenção cultural depois da transição de Macau para a China. Entre os oradores estiveram também o prestigiado investigador da história da cultura de Macau, Professor Doutor Roderich Ptak da Universidade de Munique, a ex-aluna Mestre Jannika Otte, cuja tese de mestrado teve como tema a Identidade de Macau, e Dorothea Slevogt do Instituto de Estudos Asiáticos de Heidelberg, que – de perspetiva inversa – dedicou a sua intervenção à didática do ensino de chinês.

entrada

Entrada do Instituto de Tradução e Interpretação da Universidade de Heidelberg. Da esquerda para a direita: Professor Doutor Thomas Sträter (Diretor do Departamento de Português), Doutora Isabel Poço Lopes (Instituto Politécnico de Macau), Professor Doutora Maria José Grosso (Universidade de Macau), Dra. Marisa Gaspar (Instituto do Oriente, Universidade de Lisboa), M.A. Rosa Rodrigues (Camões IP)

O Colóquio atraiu mais de 50 participantes e evidenciou claramente a situação dinâmica da Língua Portuguesa na China, que é o país onde mais se aprende Português hoje em dia. O número de instituições universitárias chinesas a ensinar Português tem vindo a aumentar significativamente devido a uma procura crescente da parte de jovens chineses e à importância das relações comerciais que a China tem vindo a desenvolver com o Brasil e Angola. Neste cenário, Macau desempenha um papel especial e funciona como centro ou plataforma para o ensino do português na China e na Ásia em geral.

Continue lendo

Xu Yingzhen é a nova secretária-geral do Fórum Macau

xu

Foto: Ponto Final Macau

O Governo da República Popular da China escolheu Xu Yingzhen, actual conselheira comercial para a América Latina do Ministério do Comércio, para suceder a Chang Hexi no cargo de secretário-geral do Fórum de Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. A informação foi avançada na sexta-feira pelo semanário “O Clarim” e confirmada pela agência Lusa.

Licenciada em língua espanhola pela Universidade de Economia e Negócios Internacionais (UIBE, na sigla em chinês), em Pequim, Xu entrou em 1989 para o Ministério do Comércio da República Popular da China.

O curriculum de Xu Yingzhen inclui ainda o cargo de directora-geral adjunta do Gabinete para os Assuntos das Américas e Oceania e uma passagem pela Câmara do Comércio da China no Chile. Continue lendo

Colóquio anual Aspectos da Lusofonia ” Macau e a língua portuguesa na China”

logo_neu_204x107No dia 22 de junho de 2016 foi realizado pela sexta vez na Universidade de Heidelberg na Alemanha, Instituto de Tradução e Interpretação, o Colóquio anual Aspectos da Lusofonia com o título Macau e a língua portuguesa na China.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo