Educação escolar indígena

VII Conferência Mundial sobre Línguas Pluricêntricas e III Conferência Internacional da Cátedra UNESCO em Políticas Linguísticas para o Multilinguismo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estão abertas até o dia 31 de março de 2020 as inscrições para a VII Conferência Mundial sobre Línguas Pluricêntricas e III Conferência Internacional da Cátedra UNESCO em Políticas Linguísticas para o Multilinguismo.

 

Local: Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil.

Data: 6 a 8 Julho 2020.

Informações: PRIMEIRA CHAMADA VII Conferência PLuricentric Languages

(disponível também em Inglês e Espanhol)

Página: http://www.pluricentriclanguages.org/

https://www.facebook.com/linguas.pluricentricas.3/about

 

Participe e divulgue!

Sem aula e sem diploma

Aula da Licenciatura Indígena na TI Alto Rio Negro

Após corte de dois terços da verba, curso superior de Licenciatura Indígena da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tem plano pedagógico inovador ameaçado

O curso regular de Licenciatura Indígena Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), criado há 10 anos como resultado de reivindicações dos povos indígenas por uma Educação de nível superior diferenciada, está praticamente paralisado. Continue lendo

SEED convoca classificados no quadro reserva para professores de áreas indígenas e do baixo rio branco

Os candidatos devem comparecer à Seed nesta sexta-feira, 06, para assinatura dos contratos – Fotos: Neto Figueiredo

Para suprir a carência de profissionais nas escolas estaduais, a Seed (Secretaria de Educação e Desporto) convoca os candidatos do quadro reserva classificados nos processos seletivos para o cargo de professor indígena, professor de Línguas Indígenas e professores que atuarão no Baixo Rio Branco. Continue lendo

Grupo discute políticas linguísticas e educacionais dos povos Apurinã e Jamamadi-Deni

A aldeia São Benedito, da Terra Indígena Kapyra/Kanakury, localizada em Pauini (AM), recebeu o II Encontro do Grupo de Trabalho de Políticas Linguísticas e Educacionais dos povos Apurinã e Jamamadi-Deni entre os dias 1º e 4 de agosto. Promovido pelo COMIN, o encontro reuniu professoras e professores e lideranças Apurinã e Jamamadi-Deni de seis Terras Indígenas, além de representantes do Museu Nacional (vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ) e do Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística (IPOL). Continue lendo

Estudantes indígenas de universidade do Mato Grosso são capacitados para dar aulas nas próprias aldeiascomo criar um blog

Cursos da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) ajudam na preservação das línguas indígenas. Aulas de valorização da identidade e cultura, diálogos entre diferentes conhecimentos, saberes e princípios dos indígenas fazem parte dos cursos de Licenciatura em Pedagogia Intercultural e Licenciatura Intercultural da Universidade do Estado de Mato Grosso, a Unemat. Continue lendo

Falar português, comer frango e jogar à bola. A nova vida das crianças indígenas venezuelanas

O Brasil recebeu quase 170 mil venezuelanos desde o início da crise, incluindo indígenas da etnia Warao. Vêm do norte da Venezuela, vivem junto ao rio Orinoco, são pescadores e têm uma língua própria. Muitos não falam espanhol, o que torna a integração ainda mais difícil. Para contornar o problema, há várias escolas em Manaus a acompanharem crianças refugiadas.

Nesta escola de Manaus as aulas começaram ainda há pouco. As portas das salas de aula já estão fechadas mas pode ouvir-se a voz de Adênis Gama, professora do terceiro ano da primária. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo