Política Linguística

Esforço para se comunicar

Fonte: Diário do Grande ABC.

Aprender a se comunicar é necessidade de todo ser humano que deseja se fazer entender e compreender. Entre os inúmeros idiomas espalhados pelo mundo, também há espaço e maneiras para que as pessoas com surdez (incapazes de ouvir) ou que tenham problemas auditivos também interajam entre si e com o universo ao seu redor.

No País, tudo é feito por meio da Libras (Língua Brasileira de Sinais), na qual mãos e movimentos são usados para criar representações de letras do alfabeto, palavras prontas e simbologias. Continue lendo

Evento indígena promoveu cultura entre etnias de Mato Grosso

Jovem youtuber Xavante motiva outros jovens no uso de mídias digitais para divulgar a cultura indígena

Três terras indígenas, cinco povos e mais de 200 indígenas celebraram a diversidade e as semelhanças da cultura indígena do noroeste de Mato Grosso. Durante 4 dias a aldeia Cravari (Terra Indígena Manoki), foi um espaço de interação sociocultural entre os povos Myky, Manoki, Sabanê, Tawandê e Manduca. Um encontro entre jovens, professores, lideranças e anciãos, que promoveu o intercâmbio de saberes  tradicionais.

Continue lendo

Conferência “Tendências Estratégicas em Política Linguística: Línguas da Ciência e da Educação Superior”

A Conferência “Tendências Estratégicas em Política Linguística: Línguas da Ciência e da Educação Superior” ministrada por Gilvan Müller acontecerá dentro do 2º Bonde Andando, entre os dias 09 e 11 de outubro de 2018.

O “Bonde Andando” é um evento anual promovido pelos discentes do Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). O evento, que chega a marca de sua 2º edição em 2018, possui o intuito de reunir os alunos de mestrado e doutorado das três áreas de concentração – Escrita Criativa, Linguística e Teoria da Literatura – para a divulgação, discussão e o aprimoramento dos seus trabalhos de pesquisa já em andamento. Continue lendo

Mesa-redonda debaterá políticas linguísticas em contexto de diversidade sociocultural

A Coordenação Acadêmica e o Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul, em parceria com o Programa de Acesso à Educação Superior da UFFS para Estudantes Haitianos (PROHAITI), promove, no dia 27 de setembro, uma mesa-redonda com a temática “Políticas linguísticas em contexto de diversidade sociocultural”.

A atividade, que será realizada no Auditório do Bloco A, a partir das 19h10, é aberta para todos os interessados. Haverá certificação para os participantes.

A mesa-redonda terá como debatedores a professora da UFFS – Campus Laranjeiras do Sul, Marcela Langa Lacerda, que abordará o tema “Políticas linguísticas na Universidade Federal da Fronteira Sul – uma introdução”, a mestranda do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Thais Silveira Pertille, que discorrerá sobre “Direitos humanos linguísticos e a dignidade do imigrante”, e o professor da UFFS – Campus Realeza, Clovis Alencar Butzge, que trabalhará com a temática “Políticas linguísticas e educacionais para acolhimento de migrantes e refugiados”. Continue lendo

Dia 12 de agosto aconteceu o 1º vestibular em uma Aldeia Indígena de Rondônia

Avaliamos que este momento constituiu uma importante referência para a UNIR nesta caminhada de dez anos de aprendizagens interculturais com os Povos originários da Amazônia.

Dia 12 de agosto aconteceu o 1º vestibular em uma Aldeia Indígena de RondôniaApós 10 anos de existência da aprovação do Projeto Pedagógico do Curso (PPC), ocorrido em outubro de 2008, a Licenciatura em Educação Básica Intercultural por meio de seu Departamento, estendeu pela primeira vez o processo seletivo discente até uma aldeia indígena do estado de Rondônia.

Nesta 7ª edição do vestibular, atendendo solicitação dos Povos Indígenas, dentre outros, o Professor indígena André Jabuti, foi escolhida a Aldeia Ricardo Franco, da Terra Indígena Rio Guaporé, distante cerca de 250 km de Guajará-Mirim, com acesso único por meio fluvial. Continue lendo

Programa brasileiro de tradução para Libras é finalista em premiação no México

VLibras 'traduzindo' trecho de página na internet (Foto: Gabriel Luiz/G1)

VLibras ‘traduzindo’ trecho de página na internet (Foto: Gabriel Luiz/G1)

Software público foi desenvolvido pelo Ministério do Planejamento. Ele concorre com mais duas iniciativas na categoria ‘sociedade igualitária e colaborativa’.

O software público brasileiro VLibras – que permite traduzir textos, áudios e vídeos para a Língua Brasileira de Sinais, usada por pessoas com deficiência auditiva – é finalista em uma premiação internacional no México. A cerimônia celebra iniciativas para tornar as cidades “mais inteligentes”.

Criado pelo Ministério do Planejamento em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o programa concorre com outros dois finalistas na categoria “sociedade igualitária e colaborativa”. Os vencedores desta edição poderão expor o projeto no próximo congresso, em um stand de 9 metros quadrados. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo