Pomerano

Escola Carlos Moreira pode ser a única do Estado a incluir aulas de Língua Pomerana no currículo

A iniciativa busca fortalecer a fala e promover a escrita da língua pomerana em meio aos mais jovens

Em meio à uma época de intensa propagação de informação e significativa modernização de costumes, dado o progresso tecnológico,  um projeto ambicioso desenvolvido há cerca de 5 anos no município de Canguçu, se preocupa em conservar o que não deve se perder no tempo: a cultura. Continue lendo

Grupos de dança mantém viva a Cultura Pomerana em meio aos Jovens

Canguçu, ou a Serra dos Tapes, como também é conhecida, possui uma significativa parcela da população de origem pomerana. Alguns estudiosos, arriscam a dizer que essa parcela corresponde a 70% dos habitantes de município.

Há pouco tempo, era comum crianças entrarem para a escola falando apenas a língua pomerana ou as duas: a língua materna e o português. Em algumas localidades do interior do município, as famílias sequer costumam se comunicar através do português. Continue lendo

Escola Carlos Moreira pode ser a única do Estado a incluir aulas de Língua Pomerana no currículo

A iniciativa busca fortalecer a fala e promover a escrita da língua pomerana em meio aos mais jovens
Escola Carlos Moreira

Em meio à uma época de intensa propagação de informação e significativa modernização de costumes, dado o progresso tecnológico,  um projeto ambicioso desenvolvido há cerca de 5 anos no município de Canguçu, se preocupa em conservar o que não deve se perder no tempo: a cultura.

Enquanto a maior parte dos alunos opta pelo inglês ou pelo espanhol, tanto no ensino fundamental, quanto no médio, para 60 alunos do sexto ao nono ano da Escola Municipal Carlos Moreira, a opção preferida passou bem distante das línguas mais tradicionais. Desde o início deste ano letivo, a escola passou a oferecer uma disciplina inédita na rede municipal e, segundo a professora Tanise Stumpf, provavelmente, no Estado: a Língua Pomerana.

Continue lendo

Feira cultural pomerana acontece na próxima semana em Espigão D”’Oeste, RO

8ª edição ocorre nos dias 16 e 17 de junho. Recurso arrecadado com a festa será destinada para a manutenção da Associação Pomerana.

 - Portal de entrada de Espigão D 39;Oeste, RO Foto: Carlos Tesch/Arquivo pessoal

Portal de entrada de Espigão D 39;Oeste, RO Foto: Carlos Tesch/Arquivo pessoal

Apresentação teatral de um típico casamento pomerano e danças regionais são algumas das atrações esperadas durante a 8ª edição da Feira Cultural Pomerana.

O evento acontece entre os dias 16 e 17 de junho em Espigão D’Oeste (RO), município da Zona da Mata, a 539 quilômetros de Porto Velho.

Segundo a organização, o objetivo da feira é resgatar a cultura do povo alemão. A entrada é gratuita.

Severino Schulz, presidente da Associacao Pomerana de Espigão D’Oeste (Aspomer), entidade responsável pelo evento, contou ao G1 que os pomeranos são povos alemães originários da Pomerânia, que foram expulsos da Alemanha. Continue lendo

Primeira Mostra Pomerana no Shopping Norte Sul

Foto: Jetibá Online

A expopsição trará toda a cultura pomerana, inclusive um casamento ao vivo

O Shopping Norte Sul recebe mais uma mostra. Desta vez, a cultura pomerana será o foco da exposição. A “1ª Mostra Cultural Pomerana” será realizada entre no sábado (21) e domingo (22), das 14h às 20 horas, e vai exibir um pouco dos costumes do povo pomerano, que vive em sua maioria no município de Santa Maria de Jetibá, que fica na região serrana.

O evento, que é aberto ao público, também contará com apresentações de grupos de dança, corais de metais, de vozes, feira de artesanato com exposição de produtos da região, exposição de fotos, degustação de comidas típicas, presença da rainha e princesa pomerana, tocadores de concertina, e ainda a realização de um casamento pomerano ao vivo. Continue lendo

Brasil suíço e pomerano: conheça outras etnias que formaram o país

Livros ajudam a contar parte da história da formação étnica brasileira pouco conhecida
Família de imigrantes pomeranos na região serrana do Espírito Santo, em realidade muito similar à enfrentada também no Sul do País
Família de imigrantes pomeranos na região serrana do Espírito Santo, em realidade muito similar à enfrentada também no Sul do País

O mosaico étnico da formação do Brasil ao longo de cinco séculos nem sempre é devidamente citado. Enquanto os povos que mais se espalharam pelo território nacional costumam ser bastante estudados, outros grupos dependem da pesquisa e da investigação localizada para serem salientados. Nesse processo, dois livros que tiveram contribuições de especialistas do Vale do Rio Pardo merecem atenção, uma vez que ampliam os estudos e os depoimentos sobre dois desses povos. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo