A falar ainda não nos entendemos

O JN comemorou 130 anos com uma Grande Conferência que teve como mote “A falar nos entendemos: a língua como ativo estratégico”. Celebrar 130 anos de um jornal de grande circulação é já de si uma forma de afirmar a língua portuguesa, ainda por cima porque tem sabido chegar a mais públicos, em particular às comunidades portuguesas no Mundo, apostando numa versão digital dinâmica e apelativa. A conferência teve a intervenção de dois presidentes da República, de Cabo Verde e Portugal, que de forma eloquente e assertiva expuseram as potencialidades de uma língua comum que é das mais faladas no Mundo.

Os dados mais recentes apontam para 260 milhões de falantes na América, África, Europa e Oceânia, sendo ainda língua oficial em Macau. A China tem sido um caso de crescimento exponencial de ensino do português que, em 2002, era ensinado em três universidades (Pequim, Xangai, Cantão) e, em 2018, em mais de 40, com o número a subir. Outros indicadores são relevantes, como a presença do português na Internet (5.ª língua mais utilizada) e nas redes sociais (3.ª língua). Mas o indicador mais significativo é o crescimento demográfico, prevendo-se que seja a língua que mais crescerá, sobretudo em África, cujo número de falantes de português ultrapassará o Brasil. A China aposta sempre no tempo longo e África é um dos seus objetivos estratégicos. Continue lendo

Oficina de Preparação de Candidaturas a Patrimônio Mundial

Duas fortificações simbólicas de Santa Catarina, a Fortaleza de Santa Cruz de Anhantomirim e o Forte de Santo Antônio de Ratones, são candidatas ao reconhecimento pela Unesco. As históricas edificações militares serão tema da Oficina de Preparação de Candidaturas a Patrimônio Mundial, promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Florianópolis (SC), em 13 e 14 de junho.

O Conjunto das Fortificações Brasileiras, que concorre ao título mundial, inclui 19 fortes e fortalezas em 10 estados. Além de representantes do Iphan, participam da oficina membros da Secretaria do Patrimônio da União (SPU), Governo de Santa Catarina, Marinha, Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Prefeituras Municipais de Florianópolis e Governador Celso Ramos, entre outros representantes da região. Continue lendo

Inauguração da Cátedra UNESCO sobre Multilinguismo

Inscrições Prorrogadas para o Prêmio Professores do Brasil

Informações: SITE OFICIAL

Roteiro para o Português como língua global

A língua portuguesa não é um ativo estratégico porque não gera rendimento, pelo contrário, é um passivo que as empresas da comunidade lusófona têm de suportar.

Foi Daniel David, presidente do Conselho de Administração do grupo SOICO (Sociedade Independente de Comunicação) – o maior grupo de comunicação social em Moçambique -, quem o afirmou, numa declaração que contrariou o tom global mais positivo do debate sobre o Português como ativo estratégico, na tarde desta sexta-feira. Continue lendo

Herança da colonização na África é obstáculo à ‘francofonia’ de Macron

Presidente francês propõe união entre escritores, mas a literatura francesa nunca dependeu de autores do país

Francofonia

A escritora franco-marroquina Leila Slimani  Foto: Ludovic Marin/Reuters

Os alemães não falavam da França, mas da “Grand Nation”. Desde seus dias radiantes, essa grande nação mudou e hoje a encontramos nas vizinhanças do Oceano Pacífico, mais do que na região do Mediterrâneo. Hoje, em 2018, todo o universo fala inglês, para grande tristeza dos “velhos ranzinzas” da França, que não se conformam com o fato de não mais ditarem ao mundo as regras da retórica, da polidez, ou os conceitos da filosofia.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo