Língua Portuguesa

Roteiro para o Português como língua global

A língua portuguesa não é um ativo estratégico porque não gera rendimento, pelo contrário, é um passivo que as empresas da comunidade lusófona têm de suportar.

Foi Daniel David, presidente do Conselho de Administração do grupo SOICO (Sociedade Independente de Comunicação) – o maior grupo de comunicação social em Moçambique -, quem o afirmou, numa declaração que contrariou o tom global mais positivo do debate sobre o Português como ativo estratégico, na tarde desta sexta-feira. Continue lendo

O português merece mais protagonismo

São cerca de 4400 os alunos a frequentar aulas oficias de português na Alemanha. Mas o interesse está a aumentar.

Maria Manuela Krühler partilha esta convicção, há mais quem procure saber da língua e isso “deve-se ao crescente interesse por Portugal, mas também pelo Brasil, pela música, pela dança e muito também pelos países africanos de língua oficial portuguesa”. A professora de português e de cultura portuguesa da Universidade Livre de Berlim reconhece que a língua “devia estar mais presente nos currículos como lingua estrangeira à semelhança do espanhol, que conseguiu consolidar uma posição muito importante, sendo por vezes mais estudado do que o francês”. Continue lendo

Prémio Camões para Germano Almeida, o prosador irónico

O escritor Germano Almeida é o vencedor da 30.ª edição do Prémio Camões, uma decisão por unanimidade a distinguir um escritor que mudou a forma de escrever sobre Cabo Verde. “Sou profundamente cabo-verdiano”, disse ao PÚBLICO enquanto celebrava na ilha de S. Vicente.

“Estou feliz. É o reconhecimento do trabalho que a gente faz. Embora eu considere que escrever não seja trabalho, é prazer”, disse Germano Almeida ao PÚBLICO pouco depois de saber que era o vencedor da 30.ª edição do Prémio Camões, o mais celebrado prémio literário de língua portuguesa, no valor de 100 mil euros.

Aos 73 anos, o escritor natural da Ilha da Boavista, onde nasceu em 1945, é autor de uma vasta obra publicada em Portugal, toda ela escrita em português. “Para mim a língua portuguesa tem o mesmo peso que a língua cabo-verdiana. Sou filho de pai português e de mãe crioula, cresci com as duas línguas, mas aprendi a escrever em português e não pretendo começar a escrever em crioulo. Eu expresso a cultura cabo-verdiana usando a língua portuguesa”, referiu numa altura em que se discute o papel da língua crioula na literatura do arquipélago. Continue lendo

Universidade venezuelana promove programa de formação de professores de português

A Universidade Pedagógica Experimental Libertador (UPEL) criou um programa piloto para formar professores de língua portuguesa, na cidade venezuela de Maracay (100 quilómetros a oeste de Caracs) e responder à crescente procura do ensino do português no país.

“Estamos entusiasmados porque daremos resposta a uma necessidade que está contemplada na Lei de Educação de Venezuela, para incluir a língua portuguesa desde o ensino primário venezuelano”, explicou Joyce Muñoz.

Em declarações à Agência Lusa, a coordenadora do ensino de línguas na UPEL explicou que “a formação de professores de português é um projeto novo, único na Venezuela”.

“Nas outras universidades os alunos formam-se como professores de inglês e francês, e ficam com algum domínio de outras línguas, aqui somos pioneiros na atualização pedagógica e por isso impulsamos este projeto”, frisou. Continue lendo

Guiné Equatorial reafirma compromisso com português e condena “críticas fora dos canais competentes”

A Guiné Equatorial reiterou hoje o seu compromisso com a “implantação do português no quotidiano” e afirmou que o “funcionamento” da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) “não permite a crítica fora dos canais competentes”.

A missão permanente da Guiné Equatorial junto da CPLP reage assim, em comunicado enviado à Lusa, a declarações da nova presidente do conselho científico do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), a portuguesa Margarita Correia, que afirmou que “não tem sido muito visível a vontade” de Malabo para difundir o português no país, um compromisso assumido pelas autoridades equato-guineenses aquando da adesão à comunidade lusófona, em 2014. Continue lendo

V Jornadas Pedagógicas de Língua Portuguesa

Após o sucesso das Jornadas anteriores, realizadas na Suécia e na Dinamarca, o Centro Cultural Brasil-Finlândia tem a satisfação de anunciar a realização da quinta edição das Jornadas Pedagógicas de Língua Portuguesa na Finlândia. O evento abordará o Ensino do Português na perspectiva de uma língua pluricêntrica e será realizado na Universidade de Helsinque, de 24 a 26 de outubro de 2018. As Jornadas Pedagógicas têm como objetivo geral promover a troca de experiências e conhecimentos científicos entre professores e pesquisadores das especificidades da Língua Portuguesa atuantes no contexto internacional. O tema central será “O status do Português como uma língua pluricêntrica: contextos e práticas”, constituído por conferências, comunicações individuais e mesas-redondas.

As propostas de trabalho devem ser enviadas até o dia 22 de maio de 2018.

Fonte e informações: V Jornadas Pedagógicas de Língua Portuguesa 

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo