Interculturalidade

Cruzando Fronteiras: escolas serão premiadas por experiências pedagógicas interculturais bilingues

Escolas do Brasil, Argentina e Uruguai receberão “Prêmio Ibero-americano Cruzando Fronteiras” durante seminário que discutirá interculturalidade, bilinguismo e formação docente

Nos dias 4 e 5 de agosto, a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) no Brasil e o Ministério da Educação promoverão o Seminário sobre Interculturalidade e Bilinguismo. O objetivo é discutir temas fundamentais para a compreensão da questão intercultural e do ensino bilíngue nas escolas públicas brasileiras e nas escolas dos países que fazem fronteira com o País. A premiação das escolas vencedoras do Prêmio Ibero-americano Cruzando Fronteiras será no segundo dia do encontro, com a apresentação das iniciativas.

O Seminário será híbrido, com transmissão pelo YouTube da OEI Brasil, e contará com tradução simultânea para o espanhol e o português, além de intérpretes de Libras. A programação está estruturada em painéis temáticos que contam com especialistas de diversas instituições para o debate.

O Prêmio visa reconhecer experiências educacionais de interculturalidade e bilinguismo nas escolas da rede pública de educação básica formal e instituições de educação profissional técnica de nível médio. Além da OEI, a Comissão Organizadora integra o Ministério da Educação, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e a Universidade de Fronteira, Instituto Camões, Instituto Guimarães Rosa (Ministério das Relações Exteriores do Brasil), Instituto Cervantes.

Seminário – 4 de agosto, 9h às 18h
Premiação – 5 de agosto, às 9h
Local: Auditório Ministério da Educação – Brasília/DF
Inscrições: http://cruzandofronteiras.org.br/

Fonte: UNDIME

Governo do Amazonas apoia primeira Mostra de Moda Indígena do Brasil, em Manaus

Estilistas indígenas do Parque das Tribos mostram suas criações de 2 a 23 de abril. Projeto foi contemplado no edital Amazonas Cultura em Rede. FOTO: Alonso Junior

Em sua primeira edição, a “Mostra Intercultural de Moda Indígena” acontece, de 2 a 23 de abril, em três pontos diferentes de Manaus. O evento inédito foi contemplado pelo edital “Prêmio Amazonas Cultura em Rede”, promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e estará aberto a visitação no Parque das Tribos, Salão Rio Solimões e Sumaúma Park Shopping.

A temática da primeira edição é o grafismo indígena que se configura nos trajes e traçados dos figurinos, pinturas e artesanatos que representam a especificidade de cada etnia.

O evento conta com a participação de 29 estilistas, sendo dois coletivos e 37 modelos indígenas, das etnias Munduruku, Baré, Sateré-Mawé, Tikuna, Witoto, Mura, Tariano, Kambeba, Carapanã e Kokama, entre outros. Ao todo, 70 profissionais estão envolvidos na ação.

A mostra da Seanny Artes Produções acontece em parceria com o Projeto de Extensão Contadores de Histórias, da Escola Superior de Artes e Turismo (Esat) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A produtora executiva da Mostra, a atriz Reby Oliveira, explica a importância deste evento, inédito no Brasil quanto ao caráter 100% indígena.

“É o primeiro evento de moda indígena no Brasil, e isso nos pegou de surpresa, pois só tem uma estilista indígena reconhecida no Brasil, a We’e’ena Tikuna. Temos populações étnicas gigantescas, encaradas como minorias, mas são maioria, com diversas línguas, mas desconhecidos do contexto em que vivemos. Por exemplo, no Parque das Tribos existem 36 etnias e os modelos da Mostra são todos de lá”, comenta.

Programação – A professora doutora Vanessa Bordin, também idealizadora da Mostra, participa como apresentadora do evento ao lado de Carlos Kokama, revela como serão estes desfiles nos três dias de apresentação.

“Atrações culturais, performáticas, musicais e os desfiles em si, trarão visibilidade e ancestralidade. Os artistas indígenas e suas criações vão surgir na passarela contando histórias de seus povos por meio das vestimentas, peças, adornos e composições. Será a tradição dialogando com a modernidade”, disse Bordin.

A primeira “Mostra Intercultural de Moda Indígena” envolve 70 profissionais de diferentes áreas entre equipe de produção, apoio, patrocínio, estilistas, modelos, alunos de oficinas e público dos desfiles.

Confira os endereços da mostra:

Parque das Tribos

Rua Rio Purus, 15, Tarumã Açu

Salão Rio Solimões

Avenida Sete de Setembro, 1546, Centro – anexo do Centro Cultural Palácio Rio Negro

Sumaúma Park Shopping

Avenida Noel Nutels, 1762, Cidade Nova

XII Seminário Pedagógico – A emergência de currículos decolonizados em contextos educativos de interculturalidade crítica

Ministerio de Educación oficializa el alfabeto de la lengua ocaina

perulingua

Norma tiene como objetivo fomentar la interculturalidad en la educación. (Difusión)

Mediante una resolución, el Ministerio de Educación oficializó el alfabeto de la lengua originaria ocaina. Se trata de un grupo étnico originario de la Amazonia y vive principalmente en el departamento de Loreto, cerca de la frontera con Colombia.

Según datos del el Ministerio de Cultura, la población de las dos comunidades ocaina identificadas en el país tiene un población estimada de 97 personas.

El alfabeto de la lengua ocaina cuenta con 37 grafías:
peru21

Se debe tener en cuenta que la norma publicada tiene como objetivo fomentar la interculturalidad en la educación.

Otro objetivo es la preservación, desarrollo, recuperación, fomento y difusión de las lenguas originarias del Perú.

La norma publicada en el diario oficial El Peruano lleva la firma de la ministra de Educación, Marilú Martens.

Fonte: Peru 21

Universidade Nacional de Córdoba: III Jornadas Internacionais Descobrindo Culturas em Língua Portuguesa 2016

cordobaAcontece entre os dias 14,15 e 16 de novembro de 2016 na Faculdade de Línguas da Universidade Nacional de Córdoba, a III Jornadas Internacionais Descobrindo Culturas em Língua Portuguesa 2016 DCLP – Mundos e modos no espaço da Lusofonia.

O evento promoverá conferências, debates, entrevistas e atrações culturais. Entre os conferencistas, destaque à presença da Profa. Dra. Marisa Mendonça, diretora executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com sede em Cabo Verde. Nascida em Moçambique, Marisa Mendonça é Doutora em Educação/ Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Brasil.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Arquivo

Visitantes