INDL

Comunidade surda comemora o 24 de abril – Dia Nacional da Libras

REDAÇÃO – O dia Nacional do Surdo é o dia 26 de setembro e o principal objetivo desta data é desenvolver a reflexão sobre os direitos e inclusão das pessoas com deficiência auditiva na sociedade.

Mas, uma das principais conquistas dos surdos ao longo dos anos, o reconhecimento nacional da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), através da lei nº 10.436, se deu em 24 de abril de 2002 e do Decreto nº 5.626/2005, que é comemorado pela comunidade surda de todo país. Continue lendo

Início do Inventário da Língua Pomerana em Santa Leopoldina e Santa Maria de Jetibá

Família Nickel e equipe do Ipol

Por Neubiana Beilke

Na última sexta-feira, 08 de março de 2019, a equipe multidisciplinar do Ipol, Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística, chegou a Vitória/ES e seguiu rumo ao interior do Estado para dar início aos trabalhos do Inventário da Língua Pomerana (ILP) que abrangerá, inicialmente, os municípios de Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Pancas, Vila Pavão, Itaguaçu, Laranja da Terra, Afonso Claudio e Domingos Martins. Continue lendo

Equipe do Inventário da Língua Pomerana vai a campo no Espírito Santo

A equipe IPOL deu início a coleta de dados para o Inventário da Língua Pomerana como língua brasileira de imigração no Estado do Espírito Santo.

O Inventário faz parte do esforço de inventariar, mapear, salvaguardar e reconhecer a diversidade linguística brasileira.

Tal propósito engloba, de um lado, a pesquisa e disponibilização do conhecimento sobre essa língua – sua documentação, divulgação e conscientização linguística junto à comunidade Continue lendo

A Surdo para Surdo possibilita a educação bilíngue online – em Libras e Português

Nome:
Surdo para Surdo.

O que faz:
É uma plataforma de educação bilíngue — em Libras (língua brasileira de sinais) e Português — que oferece aulas particulares online, com tutores surdos e tecnologias para o apoio do aprendizado.

Que problema resolve:
De acordo com a fundadora da startup, apenas 2% das crianças surdas do mundo recebem uma educação em língua de sinais. “No Brasil, existem políticas públicas e leis sobre a educação inclusiva, entretanto, o acesso à educação em língua de sinais é limitado”, diz.

Continue lendo

Grupos de dança mantém viva a Cultura Pomerana em meio aos Jovens

Canguçu, ou a Serra dos Tapes, como também é conhecida, possui uma significativa parcela da população de origem pomerana. Alguns estudiosos, arriscam a dizer que essa parcela corresponde a 70% dos habitantes de município.

Há pouco tempo, era comum crianças entrarem para a escola falando apenas a língua pomerana ou as duas: a língua materna e o português. Em algumas localidades do interior do município, as famílias sequer costumam se comunicar através do português. Continue lendo

2019 – Ano Internacional das Línguas Indígenas

A discussão da diversidade é uma necessidade imperiosa da sociedade contemporânea. Trata-se de uma recuperação de um tempo historicamente perdido com preconceitos e escalas hierárquicas que já se mostraram inválidas e inúteis sob diversos aspectos, seja o físico, o emocional, o intelectual ou o ideológico.

Oscar D'Ambrosio - Artigo

Oscar D’Ambrosio. Foto: Unesp

Um dado que demanda reflexão é que, embora existam por volta de 6 a 7 mil línguas indígenas no mundo, elas são faladas por cerca de somente 3% da população mundial. Portanto, a grande maioria delas, faladas sobretudo por povos indígenas, tende a desparecer em ritmo acelerado. No Brasil, há cerca de 170 línguas indígenas. E a estimativa é que possam desaparecer em 50 ou 100 anos.

A luta é para registrá-las e trabalhar para sua sobrevivência, o que inclui a produção de livros escolares, dicionários, de sites em idiomas indígenas e corpus linguísticos digitais que atendam tanto a exigências científicas da área da linguística como a propósitos sociais.

Nesse contexto, a UNESCO e seus parceiros, ao longo do ano de 2019, celebram o Ano Internacional das Línguas Indígenas (International Year of Indigenous languages – IYIL2019). Trata-se de um movimento que precisa envolver governos, organizações dos povos indígenas, sociedade civil, academia, setores público e privado, além de todo tipo de entidade interessada. Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo