Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

CPLP é “invisível” na imprensa brasileira: investigador defende que elite brasileira tenta apagar vínculo do Brasil com África

CADU GOMES/EFE

Os primeiros 20 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no Brasil foram invisibilizados pelos principais jornais do país, à imagem da elite brasileira “que sempre tentou apagar o vínculo com África”, disse à Lusa um investigador.

Sob o argumento de que a CPLP foi “apagada” dos noticiários brasileiros, o jornalista Cristian Góes desenvolveu a sua tese de doutoramento, que deu origem ao livro “A comunidade invisível: jornalismo, identidades e a rejeição dos povos de língua portuguesa no Brasil”, editado pela Ponte Editora, e cujo lançamento foi marcado para esta sexta-feira em Portugal e no Brasil.

Através de uma extensa análise jornalística, o autor encontrou relação entre o racismo na sociedade brasileira e a rejeição a vínculos com os países africanos.

Ao longo de quatro anos, Góes analisou ao pormenor todo o acervo de dois dos maiores jornais brasileiros impressos – Folha de S.Paulo e O Globo -, em busca de notícias ou referências sobre a CPLP, desde a sua criação, em 1996, até 2016, quando completou duas décadas da sua fundação.

Após mais de 7.000 edições analisadas, o investigador brasileiro concluiu que a CPLP, e os assuntos envolvendo a lusofonia, “simplesmente não estavam presentes nesses jornais”: “em 20 anos de CPLP, a Folha de S.Paulo publicou 80 e O Globo 81 pequenas notícias sobre a comunidade, o que dá uma média de cerca de quatro raros textos por ano nessas duas décadas”, frisou.

Na sua tese, Cristian Góes identificou que os jornais aplicaram duas formas de “apagamento”, sendo que a primeira foi a “invisibilidade por ausência”, que é quando existe um assunto, facto ou acontecimento, mas não é feita a sua divulgação propositadamente.

“Não é um lapso ou esquecimento, não é isso. Mesmo quando o Brasil comandou a secretaria executiva da CPLP, e as cimeiras foram realizadas em Brasília, com a presença de Presidentes da África lusófona e de Portugal, nem isso fez com que os dois jornais publicassem informações sobre esses factos”, indicou o jornalista, após concluir que “não foi escrita nenhuma linha” sobre o tema.

Continue lendo

24 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Em  17 de julho, comemoram-se os 24 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Presente em 4 continentes e reunindo quase 300 milhões de membros, a CPLP promove a amizade, o entendimento e a cooperação entre seus membros.
Além do Brasil, integram a CPLP Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Portugal e Timor-Leste.
Também prova de sua importância são os vários países e organizações internacionais que participam da Comunidade como Observadores Associados.
O Brasil,  por meio da ABC, mantém com os países da CPLP projetos de cooperação em áreas como saúde, educação, recursos hídricos, justiça, administração pública, segurança alimentar e nutricional e inclusão de pessoas com deficiência.
No combate à Covid-19, o Brasil fez doações para a aquisição de medicamentos e insumos médico-hospitalares para parceiros da CPLP.
A promoção da língua portuguesa constitui outro pilar essencial da CPLP.
Abrigando o maior número de falantes do idioma e uma diversificada indústria criativa em língua portuguesa, o Brasil está ciente de suas responsabilidades para o fortalecimento e difusão do português no contexto internacional.
O presente aniversário da CPLP é particularmente especial, pois, em 2020, comemorou-se, pela primeira vez, o dia 5 de maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa, após o reconhecimento dessa data pela UNESCO.

 

Imagem

CPLP faz 20 anos: estados-membros vivem crises política, econômica ou militar

cplpaDa Agência Lusa

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) comemora no próximo domingo (17) o 20° aniversário marcado por crises políticas, econômicas ou militares em seis dos nove Estados membros. Fazem parte da comunidade, além do Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Duas décadas após ser fundada – em 17 de julho de 1996 –, a organização lusófona atravessa um período conturbado, de tal forma que, pela primeira vez, e devido à crise política brasileira, adiou uma conferência de chefes de Estado e de Governo possivelmente para novembro. Continue lendo

Novo acordo: velocidade máxima!

Por: Lúcia Vaz Pedro*

Depois do que se passou em Moçambique com a postura irrefletida de Marcelo Rebelo de Sousa acerca do novo acordo ortográfico e que desencadeou uma vaga de ataques a professores, a jornalistas, a órgãos da Comunicação Social, a estudiosos e até aos próprios alunos que, segundo parece, são analfabetos porque não sabem escrever a grafia antiga, aquela que já não se estuda nas escolas há alguns anos, urge, neste momento, fazer uma reavaliação da situação.

 Depois da polémica, o novo acordo ortográfico ganhou ainda mais velocidade. Na verdade, tanto Angola como Moçambique fizeram saber que não excluíram de todo a ideia de o ratificarem. Mais: referiram que é tudo uma questão de tempo.

Angola assinou o acordo, mas o Governo ainda não o ratificou, por razões culturais e históricas. Segundo o ministro das Relações Exteriores angolano, Georges Chikoti, tanto Angola como Moçambique registaram alguns progressos para a ratificação do Acordo Ortográfico, mostrando confiança em torno de um consenso. Além disso, Moçambique já organizou o seu vocabulário nacional, que é um dos instrumentos fundamentais para a implementação do acordo. Continue lendo

Fundação Meendinho divulga Prémio 2016

download (1)Dia 5 de maio é o dia internacional da nossa língua e da nossa cultura ao longo do seu vasto espaço internacional, por assim ter sido declarado pelo Instituto Internacional da língua Portuguesa, ligado a CPLP e no que também se atende e ouve à Galiza, todavia não tendo alcançado a condição de estado.

E é por ser esta data, que a Fundação Meendinho fez público o ganhador do seu Prémio.

Neste 2016, reunido o órgão reitor da Fundação, em Santa Marinha de Águas Santas (Alhariz), acordou por unanimidade, conceder o prémio Meendinho de 2016 às escolas Semente. Continue lendo

05 de maio: IILP participa da Cerimônia “CPLP 20 Anos – A Diversidade Que Nos Une”

5maioO Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) comemora o dia 5 de maio, “Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP”, com uma cerimônia solene sob o tema “CPLP 20 anos – A Diversidade Cultural Que Nos Une”, a realizar-se na Sede, Palácio Conde de Penafiel, em Lisboa.

A sessão de abertura vai ser presidida pelo Secretário Executivo, embaixador Murade Murargy, seguida de uma mesa-redonda com o tema “Nossa Língua, Que Futuro?”, debatido pelo escritor João Melo, o professor António Horta Branco, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e o professor Nataniel Ngomane, do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa, com moderação da professora e Diretora Executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), Marisa Mendonça.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo