práticas do tradutor

Projeto exige tradutores e intérpretes comunitários em instituições públicas

Proposta

Projeto exige tradutores e intérpretes comunitários em instituições públicas

Um projeto apresentado pelo senador Paulo Paim (PT-RS) torna obrigatória a atuação de tradutores e intérpretes comunitários em todas as instituições públicas de forma permanente ou por meio da formação de núcleos especializados de tradução e interpretação (PL 5182/2020). Na justificativa da proposta, Paim destaca que o Brasil é um país multilíngue, com habitantes que não possuem proficiência em português do Brasil – seja por serem falantes de línguas indígenas, estrangeiras, analfabetos ou analfabetos funcionais. Esses cidadãos, na avaliação do senador, precisam ter apoio do Estado para que tenham assegurados os direitos que lhes são garantidos pela Constituição Federal. A reportagem é de Lara Kinue, da Rádio Senado.

 

Continue lendo

Órgãos públicos deverão ter tradutor e intérprete, determina projeto

 

Todos os órgãos públicos que prestam atendimento direto ao cidadão deverão contar com a presença obrigatória de tradutor e de intérprete comunitário para auxiliar as pessoas que não falam português brasileiro. É o que estabelece o Projeto de Lei (PL) 5.182/2020, em tramitação no Senado.

De autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), o texto determina que a obrigatoriedade da inserção de um tradutor será aplicada a todos os setores públicos de atendimento, a exemplo de serviços sanitários e médicos, jurídicos, penitenciários, educacionais, de assistência social e de fronteiras, além de todos os espaços institucionais em que sejam praticados atos civis diversos.

O projeto ainda determina que a profissão de tradutor e de intérprete comunitário seja regulamentada e sejam definidos os princípios básicos do exercício da atividade em espaços institucionais públicos, estabelecendo as diretrizes para formação, capacitação, avaliação e certificação dos profissionais a serem habilitados à função.

Na justificativa do projeto, Paim argumenta que, mesmo imperceptíveis para a maioria da população, muitos habitantes do país não têm proficiência em português do Brasil, por falarem línguas indígenas ou estrangeiras ou por serem analfabetos ou analfabetos funcionais, surdos, mudos ou cegos. Ele ressalta a  grande presença de imigrantes, refugiados e apátridas que escolhem o Brasil como local de destino ou de passagem e que necessitam igualmente de mediação linguística por tradutores e intérpretes para terem acesso aos direitos civis.

“É imprescindível pôr em pauta os direitos dessas pessoas de estarem linguisticamente presentes nas situações em que o idioma é elemento fundamental, como em consultas médicas e hospitalizações, na relação com a Polícia Federal para regularização de documentação, no acesso à educação, em casos de detenção em estabelecimentos prisionais (incluindo os cenários em que o acusado/réu precisa dialogar com seu defensor em particular), em fronteiras na chegada ao país, quando muitos em situação de perseguição e necessidade de proteção não conseguem explicar os antecedentes que os forçaram a sair de seus países e em outras diversas circunstâncias em que o idioma é elemento básico para a devida compreensão e atendimento, entre outras situações”, exemplifica Paim.

Orçamento

A proposta também estabelece que sejam criados instrumentos para previsão orçamentária, contratação e remuneração dos tradutores e intérpretes pelos setores a serem atendidos ou por núcleos especializados, que poderão atuar como centros de informação, treinamento, implementação e monitoração dos serviços de tradução e interpretação comunitária oferecidos pelas instituições públicas, sejam elas federais, estaduais ou municipais.

Ainda não há data prevista para a análise da proposta pelos senadores.

Fonte: Agência Senado

Live – A situação dos imigrantes no Brasil e a necessidade de tradutores e intérpretes em ambientes institucionais

Registro Nacional de Intérpretes y Traductores de Lenguas Indígenas u Originarias del Ministerio de Cultura do Perú

RENITLI es una plataforma automatizada, con datos actualizados y aquí mismo podrán descargar sus credenciales. Ya se están planificando los talleres con los Traductores e Intérpretes de manera regional.

https://traductoresdelenguas.cultura.pe/

Covid-19: projeto de tradução recebe mais de 80 inscrições e faz parcerias com UnB e UFPB

Image

O projeto de extensão “Tradução, mediação linguística e disseminação de informações à comunidade”, proposta multidisciplinar que parte dos cursos de Bacharelado em Letras – Tradução e Licenciaturas vinculadas ao Centro de Letras e Comunicação da UFPel, recebeu mais de 80 inscrições. Voluntariaram-se estudantes de graduação (diversas áreas do conhecimento), e também pós-graduandos/as, pesquisadores/as de outras instituições (inclusive do exterior) e tradutores/as profissionais.

Para fazer frente aos desafios, foi estabelecida parceria com pesquisadoras da Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que coordenam projetos de extensão semelhantes vinculados ao Mobilang.

O primeiro desafio do projeto é pesquisar e disseminar junto à comunidade informações e notícias relacionadas ao novo Covid-19, além de atender a órgãos públicos, organizações não-governamentais e instituições que necessitem de traduções e medição linguística (por meio remoto). Até o momento, o grupo conta com tradutores/as e mediadores/as voluntários/as para atuar nos idiomas inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e Libras.

O contato pode ser feito por meio do e-mail tradcomufpel@gmail.com

Inscrições para o II Colóquio de Tradução encerram na quarta-feira, dia 25/05

tradutores-01-01-723x1024Estão abertas até quarta-feira, dia 25 de maio,  as inscrições para o II Colóquio de Tradução – Tradução Literária: Projetos e Práticas do Tradutor.
O evento acontece nas dependências da Universidade Federal de Santa Catarina no dia 31 de maio de 2016, e é organizado pelos professores Andréa Cesco (Dra., DLLE/PGET/CCE), Gilles Jean Abes (Dr., DLLE/PGET/CCE) e Juliana Cristina Faggion Bergmann (Dra., MEN/PPGE/CED).

Na ocasião, será lançado o livro originado dos trabalhos apresentados no I Colóquio de Tradução – Tradução literária: veredas e desafios. Com textos de Mamede Mustafa Jarouche, Ivone Benedetti, Caetano Waldrigues Galindo, Álvaro Faleiros, Christian Werner e Maurício Santana Dias, e apresentação de Andreia Guerini, o livro foi organizado pelos professores Andréa Cesco, Gilles Jean Abes e Juliana C. F. Bergmann.  Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo