acessibilidade

Conheça o Bibliolibras – Biblioteca Bilíngue de Literatura Infantil e Juvenil – Libras / Português

Criado há 10 anos, o Bibliolibras é um projeto que possibilita o acesso de surdos e deficientes visuais à literatura infantil e juvenil na língua portuguesa. A proposta após a escritora e professora de Línguas, Sueli Maria Regino, fundadora do projeto, identificar que os alunos com deficiência auditiva e visual não tinham a mesma experiência literária em Português que os demais alunos.

Por conta disso, Sueli começou a contar as histórias, fábulas, lendas brasileiras, contos curtos, entre outros. “Enquanto eu contava a história em Português, o surdo não usufruía da história que eu contava, mas acompanhava o intérprete de Libras muito atentamente. Por que precisava que alguém lesse esse texto? Para que o intérprete de Libras [Língua Brasileira de Sinais] pudesse fazer a interpretação para o aluno surdo”, contou Sueli.

A professora narrou ainda a vivência de um aluno que não perdia uma única apresentação de histórias. “É tão emocionante ver o resultado desse trabalho. No dia que eu contei a história de João e Maria, esse aluno disse: ‘Professora, sabe que desde pequenininho, eu sabia que existia essa história? Só não sabia como ela era’”.

Segundo Sueli, o estudante explicou que quando criança os professores davam quebra-cabeças para ele e em um dos jogos havia desenhos de João e Maria. Mas ninguém contou a ele como era realmente a história. “Nesse momento eu percebi a importância desse projeto”, declarou a escritora.

No entanto, Sueli acreditou que era preciso dar um passo a mais e, assim, adicionou uma nova fase do projeto. “Hoje, a Bibliolibras pode ser utilizada pelo aluno surdo, de qualquer idade, temos textos para crianças, adolescentes e também temos agora uma parte do acervo para os textos literários da graduação”, informou.

Além disso, a Bibliolibras também atende à demanda de alunos de baixa visão e cegas, autistas. O projeto teve início com 12 contos dos Irmãos Grimm e está em constante construção, com a edição de novos livros audiovisuais e outras coleções. “É uma biblioteca universal. Acredito que a tendência é aumentar”, reforçou a professora.

VIA Sagres 

Participação do IPOL no evento “Traduzir-nos: Acessibilidade e Diversidade na Defesa dos Direitos Humanos”

Site da Câmara Municipal de Florianópolis agora oferece audiodescrição e a interpretação em Libras

Recentemente o site da Câmara Municipal de Florianópolis mudou. Além de ter tornado o acesso às atividades legislativas mais dinâmico e fácil com o novo layout, o portal agora oferece audiodescrição e a interpretação em LIBRAS dos conteúdos no formato mobile e para desktop. Dessa forma, pessoas com qualquer tipo de deficiência auditiva e/ou visual poderão navegar pelo site da CMF com autonomia.

Infelizmente, a maioria das desenvolvedoras de sites não fazem o exercício de imaginar como as pessoas com algum tipo de deficiência acessam a internet, e o resultado disso são páginas sem qualquer tipo de acessibilidade.

O jornalista Josué Leandro, que perdeu a visão por causa de um glaucoma, recebe com apreço a iniciativa. “Eu acompanho isso, como cidadão, com muita honra, porque é um direito da pessoa com deficiência que mora em Florianópolis ter acesso a essas informações, e saber exatamente aquilo que os vereadores estão debatendo, podendo acompanhar isso em tempo real não só pelo computador, mas também pelo celular.”

Para o presidente da Câmara, além de servir como inclusão social, o novo site vai oferecer mais transparência política, já que mais pessoas terão acesso às informações públicas e oficiais. “A Câmara avançou e muito em termo de acessibilidade. Hoje já temos todo o elevador acessível, banheiros acessíveis e agora também estamos lançando um site que é totalmente acessível. Esse é mais um avanço da Câmara  garantindo a igualdade de direitos e acima de tudo cidadania, dando a essas pessoas a inclusão social imprescindíveis para a democracia.”

FONTE: Floripa News 

Programa Livros Acessíveis

Em São Paulo, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência está disponibilizando em seu site os livros “A Aldeia Sagrada”, de Francisco Marins (Editora Ática), “A mulher que matou os peixes”, de Clarice Lispector (Editora Rocco), “Come, menino”, de Letícia Wierzchowski (Editora Ediouro), em formato acessível contendo libras, legenda, áudio, imagem e leitura simples.  Ação faz parte do programa Livros Acessíveis e celebra o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, comemorado no dia 3 de dezembro, próxima sexta-feira.

O programa, fruto da parceria entre a Secretaria e a ONG Mais Diferenças, com o apoio do Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), realiza a produção dos livros acessíveis seguindo as diretrizes dos princípios do Desenho Universal, que possibilita que um livro possa ser disponibilizado para públicos com diferentes tipos de deficiência simultaneamente.

Os títulos estão em formato audiovisual e contam com recursos de acessibilidade como texto, descrição das imagens, tradução e interpretação em Língua Brasileira de Sinais (Libras), glossário em Português e Libras com imagens e áudio, além de desenho de som. O título infanto-juvenil “A Aldeia Sagrada” também conta com texto em Leitura Fácil, no audiovisual e em formato PDF para impressão.

Com o objetivo de proporcionar o acesso de pessoas com deficiência ao mundo da literatura, o programa Livros Acessíveis já disponibiliza em seu site 14 obras literárias acessíveis. São elas: “Uma Nova Amiga”, de Lia Crespo; “Serei Sereia?”, de Kely de Castro; “O Discurso do Urso”, de Julio Cortázar; “O Menino no Espelho”, de Fernando Sabino; “A Bolsa Amarela”, de Lygia Bojunga; “Frritt Flacc”, de Júlio Verne; “Bem do seu Tamanho,” de Ana Maria Machado; “Sei por Ouvir Dizer”, de Bartolomeu Campos de Queirós e Suppa; “Volta ao Mundo em 80 Dias”, de Júlio Verne; “Peter Pan”, de J. M. Barrie; “As Cores no Mundo de Lúcia”, de Jorge Fernando dos Santos; “O Menino Azul”, de Cecília Meireles e Lúcia Hiratsuka; “Kafka e a Boneca Viajante”, de Jordi Sierra I. Fabra; “Um sonho no caroço do abacate”, do Moacyr Scliar..

As obras  contribuem com a equiparação de oportunidades e o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos aos direitos das pessoas com deficiência, com ênfase no acesso ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão, de forma articulada e transversal.

O programa estadual garante o acesso de todas as pessoas aos livros acessíveis, que possuem diversos recursos de acessibilidade como narração e texto em português, audiodescrição e animação das imagens, tradução e interpretação em Libras e leitura fácil – que traz adequações em relação à linguagem, conteúdo e forma para ampliar a compreensão.

Além disso, realiza oficinas de formação e sensibilização de profissionais da educação, cultura, assistência social, bibliotecários, mediadores de leitura e outros profissionais interessados às práticas acessíveis e inclusivas voltadas à leitura.

Acesse a página do Programa Livros Acessíveis  

PET Letras da UFSC realiza ‘Seminário sobre Plurilinguismo e Acessibilidade’ dia 29

brasao_349O PET Letras promove o “Seminário sobre Plurilinguismo e Acessibilidade” no dia 29 de setembro, na sala Hassis, do bloco B do Centro de Comunicação e Expressão (CCE), às 18h. O objetivo do evento é apresentar e discutir aspectos linguísticos referentes à Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência a partir de diferentes perspectivas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no local. Os participantes receberão certificado.

Durante o evento, haverá uma mesa-redonda composta pela tutora do PET Letras e professora de Políticas Linguísticas do Departamento de Letras da Universidade, Cristine Severo; pelo mestrando em Estudos da Tradução da UFSC, Roger Prestes; pelo presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Florianópolis, Leandro Oliveira; e pela graduanda de Letras/Português e bolsista do PET Letras, Ana Santiago. Serão tematizadas as questões de acessibilidade e inclusão, além das barreiras de comunicação enfrentadas pelos sujeitos no exercício de sua cidadania.

Gabriel Daros Lourenço/Estágio em Jornalismo/Agecom/UFSC

Fonte: Notícias da UFSC

 

Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência: UFSC promove várias atividades dia 21

capa facebook-01

O dia  21 de setembro marca o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, e a UFSC participará da comemoração do dia de inclusões com uma série de atividades. Para todo o dia 21, estão marcadas palestras, visitas mediadas e ações com crianças, e as inscrições para participação abrem nesta segunda-feira, 12, e seguem até sexta-feira, 16 de setembro.

O evento, organizado pela Coordenadoria de Acessibilidade Educacional (CAE), busca discutir questões relacionadas às pessoas com deficiência, considerando o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência como marco. Aberto ao público. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail , e as vagas são limitadas. Todas as atividades ocorrerão no Campus Florianópolis, bairro Trindade.

Confira a Programação: Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Visitantes

Arquivo