Início do Inventário da Língua Pomerana em Santa Leopoldina e Santa Maria de Jetibá

Família Nickel e equipe do Ipol

Por Neubiana Beilke

Na última sexta-feira, 08 de março de 2019, a equipe multidisciplinar do Ipol, Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística, chegou a Vitória/ES e seguiu rumo ao interior do Estado para dar início aos trabalhos do Inventário da Língua Pomerana (ILP) que abrangerá, inicialmente, os municípios de Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Pancas, Vila Pavão, Itaguaçu, Laranja da Terra, Afonso Claudio e Domingos Martins.

Em Santa Leopoldina, na noite do dia 08, a equipe foi recebida por Zélia Maria Silva, que representou a Secretaria de Educação do Município, e por Adolfo Schram, liderança do povo pomerano na região. Nos dias 09 e 10, guiados por Adolfo, a equipe esteve em Melgaço, Rio Posmoser e Luxemburgo sendo muito bem recebida pelas famílias. Em meio a deliciosos almoços e cafés, nos apresentaram, em pomerano, seu cotidiano e a manutenção de ofícios antigos como de tocar a concertina, instrumento presente em praticamente todas as localidades. Alguns, como o Sr. Angelino e seu neto, sabem consertar e construir esse primoroso instrumento. Além disso, o conhecimento acumulado para obtenção de venenos de cobra, matéria prima do soro antiofídico, e para a cura com ervas e chás, o cultivo diversificado na agricultura, o plantio de inúmeras flores e árvores nos jardins e uma culinária baseada na produção local compõem algumas das práticas culturais que o povo pomerano das montanhas capixabas transmite de geração a geração por meio de sua língua.

Foi realizada uma reunião no dia 11/03/2019 na Secretaria de Educação de SMJ para firmar parcerias, alinhar procedimentos, planejar os próximos passos do trabalho, bem como seus desdobramentos e futuras aplicações.

A reunião contou com a presença de representantes do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de Brasília e do Espírito Santo, dentre eles o coordenador-Geral de Identificação e Registro Deyvesson Israel Alves Gusmão, o chefe da divisão técnica da Diversidade Linguística Marcus Vinícius Carvalho Garcia e a superintendente do Iphan do Espírito Santo Elisa Taveira.

Nesse mesmo dia, às 17h, Sintia Bausen, Marcus Vinícius e Rosângela Morello apresentaram o Inventário e seus desdobramentos na Câmara dos Vereadores de Santa Maria de Jetibá.

O objetivo do ILP é efetuar registros da língua e produzir dados sobre ela, documentar a presença da fala em uso nos diversos municípios incluídos na pesquisa, fomentar a preservação, conscientizar os falantes da importância de sua língua, valorizar suas identidades e levar às comunidades o conhecimento acerca dos seus direitos linguísticos. Além disso, a iniciativa promove o fortalecimento da cultura pomerana. O Inventário possibilitará o reconhecimento da variedade pomerana como Língua Brasileira de Imigração e, consequentemente, como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.

O Inventário terá como produtos: um livro com a análise dos dados da língua pomerana, imagens das comunidades visitadas e também um documentário produzido em parceria com os produtores Arno Stuhr e Solinéia Thom Stuhr.

A expedição conta com a presença da coordenadora do IPOL, Rosangela Morello, com a participação da linguista Neubiana Beilke, da antropóloga Mariela Silveira, da pesquisadora Renata Galant e das educadoras Lilian Jonat Stein e Síntia Bausen. A incursão conta também com o guia local Fabrício Salati, cedido por meio do convênio com a Prefeitura Municipal de Santa Maria de Jetibá.

 

Redação: Neubiana S. V. Beilke.

Revisão: Mariela Silveira.

Fotografias: Arno e Solinéia Stuhr.

Pomeranos Fotografados: Família Nickel e Família Schram.

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo