Línguas dravídicas faladas na Índia existem há 4.500 anos

Nova Deli – As línguas dravídicas, faladas por 220 milhões de pessoas na Índia e países vizinhos, existem há 4.500 anos, descobriram investigadores do instituto Max Planck, que esperam compreender melhor como surgiram e se disseminaram, informou a Lusa

Fundamentais para perceber a dispersão dos seres humanos a partir de África, os 80 idiomas e dialectos da família dravídica são falados no sul e centro da Índia mas também no Paquistão, Afeganistão e Nepal.

As quatro línguas mais faladas têm tradições literárias seculares, a mais antiga dos quais é o Tamil, cuja evolução está documentada em poesia, canções, textos religiosos e seculares.

“O estudo das línguas dravídicas é crucial para perceber a pré-história na Eurásia, uma vez que influenciaram outros grupos de línguas”, notou a linguista Annemarie Verkerk, do Instituto Max Planck para as Ciências da História Humana.

A origem exacta e a dispersão da língua dravídica não é conhecida, mas o consenso entre a comunidade científica é que os falantes originais eram nativos do sub-continente indiano e já lá estavam quando chegaram os primeiros falantes dos idiomas indo-europeus à Índia, há cerca de 3.500 anos.

O caminho desta investigação será clarificar as relações entre as várias línguas dravídicas e a sua história geográfica.

“Temos aqui uma oportunidade para investigar as interacções entre estes povos e outros grupos culturais na área, como os indo-europeus e os austro-asiáticos, numa das grandes encruzilhadas da pré-história humana”, afirmou Simon Greenhill, do Instituto Max Planck.

Fonte: Ângola Press

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo