Constituição moçambicana disponível em Emakhuwa e Changana

Lei Mãe em línguas nacionaisO Centro de Estudos e Pesquisa de Comunicação Sekelekani lançou, pela primeira vez, a Constituição da Republica de Moçambique em Emakhuwa e Changana, as suas mais faladas no país. A iniciativa permitirá que mais de dez milhões de moçambicanos interpretem cabalmente a Lei Mãe, diz Maurício Bernardo, um dos tradutores.

“Emakhuwa é a língua materna mais falada em Moçambique, com cerca de 5.8 milhões de falantes”, afirma Bernardo.

O país tem pouco mais de 29 milhões de habitants e a língua oficial, o Português, é falada por 3.6 milhões de pessoas.

O director executivo da Sekelekani, Tomás Vieira Mário, afirma que esta tradução vai permitir que mais moçambicanos possam participar no debate político nacional.

Vieira Mário acredita que com o domínio da Constituição da República em línguas locais, os moçambicanos poderão acompanhar e participar no processo de descentralização em curso no país.

“E vai poder ter a sua opinião”, diz Vieira Mário.

O ministro da Justiça, Joaquim Veríssimo, também diz que a tradução garante a inclusão e afirmação da cidadania no desenvolvimento do país.

Fonte: Voa Portugues

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo