Tukano

Lançamento do livro” Úkũsse: formas de conhecimento nas artes do diálogo tukano”

A Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (EdUFSC) promove o lançamento de Úkũsse: formas de conhecimento nas artes do diálogo tukano, do autor João Rivelino Rezende Barreto. O livro já está à venda na livraria virtual e tem versão gratuita em formato e-book, na estante aberta da editora.

A obra é resultado de uma pesquisa antropológica no noroeste amazônico, tendo como universo temático o povo tukano e sua sabedoria. Partindo de uma etnografia em casa, o autor apresenta o Úkũsse, um conceito-raiz para o entendimento das formas de conhecimento tukano como arte do diálogo. Segundo ele, este conceito é o objeto de pesquisa e também sua metodologia.

Indígena de etnia tukana, Barreto é natural do extremo norte do Amazonas. Também conhecido como Yúpuri, ele é mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e primeiro indígena a concluir seu doutorado em Antropologia na UFSC, em 2019.

Educação: Alunos Tukano escrevem dissertação de mestrado da Ufam na língua da etnia

O Tukano é lingua cooficial no Município de São Gabriel da Cachoeira e, ao lado nheengatu e baniwa, é uma das línguas de instrução no curso de Licenciatura Indígena “Políticas Educacionais e Desenvolvimento Sustentável”, também oferecido pela UFAM. Saiba mais em http://www.ensinosuperiorindigena.ufam.edu.br/.

Por:  Elaíze Farias

Decisão da Universidade Federal do Amazonas é um marco no sistema do ensino superior para os índios do Brasil. 

 

 

MESTRES-TUKANOS_UFAM_DAGOBERTO-AZEVEDO_ALBERTO-CESAR-ARAUJO-AMREAL-6

O aluno Dagoberto Azevedo nasceu na comunidade Pirarara, no rio Tiquié. (Foto: Alberto César Araújo/AmReal)

Os indígenas Dagoberto Azevedo, 37 anos, e Gabriel Maia, 45 anos, falam língua Tukano, originária dos territórios margeados pelos rios Uaupés, Tiquié e Papuri, afluentes do Alto Rio Negro, município de São Gabriel da Cachoeira, no noroeste do Estado do Amazonas, na fronteira com a Colômbia. É nesta língua, e não no português, que eles vão escrever suas dissertações de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), uma iniciativa considerada um marco no sistema educacional do ensino superior do país.

Continue lendo

IPOL Pesquisa

Receba o Boletim

Facebook

Revista Platô

Visite nossos blogs

Clique na imagem

Clique na imagem

Arquivo

Visitantes