Eu quero falar OFAYÉ: a (in)visibilidade linguística no ensino e na pesquisa da Língua Materna Indígena

“Eu quero falar Ofayé”:

A (in)visibilidade linguística no ensino e na pesquisa da língua materna indígena.

Prof. Me. Carlos Alberto dos Santos Dutra (Artigo apresentado ao Curso de Especialização em Cultura e História dos Povos Indígenas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul-UFMS em 2015.

Resumo: O artigo traz considerações sobre a língua materna do povo Ofaié, pertencente ao tronco linguístico Macro-Jê que habita a aldeia Anodi, no município de Brasilândia-MS. Trata-se de um olhar de indigenista e historiador sobre a realidade de um povo dado como extinto, egresso de perseguições e massacres, e que hoje ocupa o espaço institucional sendo foco de diversas pesquisas acadêmicas e estudos científicos sobre a língua que se encontra em vias de extinção. Diante do contexto fragmentado e intercultural crescente experimentado por comunidades indígenas diminutas, com menos de dez falantes, como é o caso dos Ofaié, cabe indagar o que representa para a sua sobrevivência a preservação da língua? Para onde vai o povo que perdeu ou não mais faz uso da língua materna nas atividades rotineiras da aldeia? Qual a contribuição que a pesquisa e a escrita podem dar para o fortalecimento e sobrevivência da língua desta comunidade indígena? A experiência aqui relatada, metodologicamente vale-se do depoimento fornecido por indígenas diretamente ao autor, mesclados pela reflexão de jornalistas e pesquisadores, linguistas, antropólogos e historiadores que têm se dedicado ao estudo da língua e a história do povo Ofaié. Tudo com o objetivo de evidenciar os percalços enfrentados na luta em torno da preservação da língua, que permaneceu invisível por tanto tempo, e agora renasce e se transforma pela mão dos próprios indígenas com a grafia e sua reprodução em sala de aula.

Palavras-Chaves: Ofaié; Ofayé; Língua Indígena; Pesquisa; Educação Indígena.

Fonte e artigo completo: WebArtigos

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo