Educador indígena

A formação é rara oportunidade de empreender um diálogo da interculturalidade

O processo de formação de educadores indígenas, bem como as ações desenvolvidas por esses profissionais no contexto de uma educação escolar específica, diferenciada e intercultural, representa uma tarefa desafiadora que trilha por um caminho marcado por conceitos, concepções e metodologias que propiciam um ambiente cauteloso, que deve seguir dando um passo de cada vez, para que possamos formular propostas que conduzam a ações efetivas e em consonância com o que pensam e desejam as diversas comunidades indígenas que vivem em nosso país.

Os indígenas ressaltam que, no seu entendimento um educador qualificado para a escola da aldeia consiste naquele que consegue fazer com que as crianças da comunidade aprendam a falar e a escrever na língua indígena, ou seja, na língua materna de cada etnia.

 

A proposta de formação de um professor indígena deve estar fundamentada numa educação específica e diferenciada, voltada à realidade das comunidades indígenas, num constante diálogo intercultural entre os diversos saberes, com o objetivo de instrumentalizar os professores indígenas para o exercício da docência respeitando a cosmovisão e os valores das diferentes etnias.

Os indígenas ressaltam que, no seu entendimento um educador qualificado para a escola da aldeia consiste naquele que consegue fazer com que as crianças da comunidade aprendam a falar e a escrever na língua indígena, ou seja, na língua materna de cada etnia

Formar educadores indígenas significa a rara oportunidade de empreender um diálogo da interculturalidade. Significa também a construção de novo marco conceitual por meio da compreensão da alteridade. Representa um espaço onde frutificará a investigação científica e a preparação técnica. Na formação de um educador indígena deverá ser ofertada uma escolarização aberta, não excludente, pautada no diálogo e no respeito às diferenças étnicas e culturais e aos projetos societários dos ameríndios. Isso representa um passo significativo para a consolidação, no futuro, de um espaço legítimo, fruto da reflexão e da luta dos professores indígenas que foram e estarão sendo formados nos cursos de licenciatura e de outros que virão com base na demanda existente.

Como parte integrante da formação, a elaboração e publicação de livros na língua indígena estão diretamente relacionadas à afirmação da identidade étnica e a manutenção da diversidade linguística, além de subsidiar o trabalho do professor indígena nas escolas das aldeias. Produzidos no contexto da formação de professores indígenas como parte da prática curricular, a elaboração de materiais didáticos tem ressonância na consolidação das políticas públicas interculturais para as escolas indígenas e se constitui numa etapa importante da formação do professor e construção de um currículo escolar que realmente marque a diferença da escola indígena. Materializados nos componentes curriculares como matemática, arte, literatura, história, linguística e educação, com temas como pintura, mito, arte, festas, histórias, música e organização social.

 

ELIAS JANUÁRIO é educador, antropólogo e historiador.

Fonte: Midia News

 

Deixe uma resposta

IPOL Pesquisa
Receba o Boletim
Facebook
Revista Platô

Visite nossos blogs
Clique na imagem
Clique na imagem
Visitantes
Arquivo